sexta-feira, julho 06, 2012

VIRANDO O JOGO



POR LETÍCIA VIDICA

Parei de respirar e quase tive um treco quando vi o Pedro saindo da garagem da casa da mãe dele. Eu estava estacionando o meu carro frente a casa dos meus pais, quando o vi pelo espelho retrovisor. Pensei que era uma miragem. Afinal a saudade era tanta que eu não me assustaria se estivesse imaginando ele. Não, não era uma miragem. Era Pedro em carne e osso. Mas como assim ele voltou e não me disse nada? Antes que escapasse, larguei o carro de qualquer jeito e gritei o nome dele.

- Pedro?! – eu disse descendo do carro esbaforida.

- Diana?! – ele respondeu ainda um pouco sem graça. Parecia até que tinha visto um fantasma. Ou pior achei que ele não estava tão feliz em me ver quanto eu estava em vê-lo. – Quando você chegou? Por que não me disse nada?

Fiz tantas perguntas a ele enquanto eu o abraçava e era retribuída com um abraço frio. Algo estava errado. Eu conheço meu eleitorado.

- Eu cheguei há dois dias... eu ia te procurar.

- Há dois dias?! Como assim? Ia me procurar quando?

Eu não consigo entender o Pedro. Eu fico aqui louca para ele voltar e ele retorna sem me dar um sinal de fogo?! Antes que respondesse a todas as minhas perguntas, um carro se aproximou e, para minha surpresa, quem estava dentro dele era a Camila, a Globeleza. Pedro me abraçou, me deu um beijo na bochecha, disse que tinha um compromisso e que me procuraria para gente conversar melhor.

Fiquei com cara de tacho e coração partido ao vê-lo partir no carro com a Globeleza e me deixando perdida e só na rua. Como assim? O que eu fiz? O que está errado nessa história? Perdi o chão. Inventei uma enxaqueca e fui rapidamente embora da casa dos meus pais.

****

- Eu não estou ficando louca, Betina. Tem algo muito errado com o Pedro! Ele voltou e não me disse nada, me tratou com uma frieza absurda, aquela Camila foi busca-lo cheia de sorrisos... eu não estou com um bom pressentimento.

- Calma, Diana. Ele não disse que ia te procurar? Calma! Não esquece que vocês deram um tempo. Sei lá... vai ver ele quer pensar, ainda está respeitando o seu tempo.

- Não, Betina. Eu conheço o Pedro. Ele quer me dizer algo, mas não tem coragem. Ele está fugindo de mim. Eu não vou deixar isso acontecer...

- E o que você vai fazer?

Antes que a minha ansiedade me matasse, pisei em cima do orgulho, me agarrei na confiança e liguei para o Pedro convidando-o para jantar. Me arrumei toda poderosa e fui ao encontro dele. Resolvi levá-lo ao restaurante japonês que ele tanto gostava.

- Nossa, você está linda! – ele me disse quando chegamos ao restaurante.

- É para você – ataquei.

- Não mereço tanto – desbaratinou ele.

Passamos a primeira hora do jantar falando bobagens. Ele me contou sobre sua vida em Londres, seus novos amigos, mas a gente conversava com uma certa frieza mesmo em meio a tantas confidências. Era como se fosse apenas o Pedro amigo que estivesse ali. O
Pedro amante estava perdido em algum lugar... eu queria encontra-lo.

Num momento entre o final do jantar e a sobremesa, não suportei mais aquele joguinho e coloquei as cartas na mesa.

- O que aconteceu, Pedro? Por que você voltou, não me procurou e está me evitando a noite toda? – vomitei tudo nele.

Pedro abaixou os olhos, respirou fundo, tomando coragem para me dizer algo que, com certeza, me magoaria. Eu conheço aquele olhar.

- Eu estava sem coragem de te procurar. Eu preciso confessar que ... que... a melhor coisa seja seguirmos cada um o seu caminho.

Paralisei. Para, volta tudo... eu estou ficando louca?! Não ouvi isso (de novo).

- Diana, eu não quero te magoar, mas... eu não sou capaz de suportar a presença do Pierre entre nós.

- Pedro, evolui. Mesmo depois desse tempo todo você ainda não conseguiu esquecer do Pierre?! A essa hora deve estar quase trocando a fralda da filha dele, o Pierre está muito bem casado, se quer saber... e ele não fugiu do altar porque eu vi... – ops, falei demais.

- Você foi ao casamento dele?!

Bendita hora que eu resolvo falar demais. O Pedro me pegou no pulo do gato. Já que era para colocar as cartas na mesa, resolvi contar rapidamente a minha aventura – da despedida de solteiro à espionagem na igreja.

- E depois disso tudo você ainda acha que esqueceu dele, Diana? Olha, você sabe que eu te adoro, mas não dá mais para viver com esse fantasma no meio da gente.

- Pedro, peraí... eu não estou entendendo nada. Eu tava quieta no meu canto, você vem me declarando esse amor todo, me fazendo quase pirar... daí eu me dou conta de que você é o cara certo, de que eu gosto de você e agora vem com esse papinho para cima de mim? Não vira o jogo não! – me irritei.

- Diana, você foi forçada a me escolher. O Pierre sempre te dominou. Mais dia, menos dia ele vai correr atrás de você de novo e você vai ficar toda abalada. E eu? Como fico?

- Você fica comigo. Simples assim... a não ser que você já tenha com quem ficar... – já que era para virar a mesa, resolvi virar. – Tem outra na parada né?

Pedro abaixou os olhos novamente e suspirou, como sempre faz, antes de atirar uma
bomba atômica.

- Não fica brava. Aconteceu. Eu voltei a sair com a Camila.

- A Globeleza?! – eu sabia. Praticamente, surtei naquele momento. – Você podia ter sido mais sincero e poupado esse esforço todo e ido direto ao ponto. Então, a questão aqui não é o Pierre e sim a sua nova namoradinha...

- Eu não estou namorando ela. Aconteceu. Ela foi me visitar em Londres e...

- Nem precisa continuar a história. Vai me dizer que estava carente e já tinha visualizado que eu estava com o Pierre e aproveitou o abrigo dela?! Olha, Pedro, eu jamais imaginei isso. E sabe o que mais dói? É que, dessa vez, eu sei o que eu quero, mas mais uma vez ... tenho na minha frente um homem que não sabe o que quer.

- Diana... – dizia ele pegando nas minhas mãos – Eu adoro você. Sabe o quanto você é especial para mim... eu não queria te magoar...

- Tarde demais, Pedro. Garçom! – acenei pedindo a conta. Eu queria fugir dali.

- Eu te levo para casa. Afinal de contas, ainda somos amigos não é mesmo?

- Pedro! Agora quem quer um tempo sou eu..., inclusive, na nossa amizade.

- Mas...

- Mas nada! Pra mim, já deu! Aqui está a minha parte. Bom te ver. Vou pegar um taxi.

Sai feito um furacão do restaurante e, assim que dobrei a esquina, desabei em lágrimas.

***

- Mais uma vez, não! De novo, não. Eu não aguento mais tanta decepção – essa era eu chorando as pitangas no carro da Betina que tinha ido até lá me buscar.

- Que desgraçado! Por essa, nem eu esperava!!! E agora?! Ele virou totalmente o jogo
contra você!!!

- É um covarde isso sim. Tem medo de arriscar. Mas ele sempre foi assim. Eu devia ter sido mais esperta. Idiota!!! Pior, me trocou pela Globeleza!! Aquela vaca deu o bote direitinho!!! Tenho que parabeniza-la.

- Calma, Diana. Logo mais, ele vai ver quem é ela e vai se dar conta do que ele perdeu.

- Betina, eu to cansada de ter que esperar os homens acordarem para se darem conta do meu valor. Eu sei o meu valor!!! Cansei de brincar disso, sabe?!

- Mas vai fazer o que agora?!

- Vou ter que aprender a desapegar né? Simbora, mais uma vez, a dar a volta por cima.
To ficando craque nisso...

- Vai ficar bem mesmo?!

- Vou tentar.

Desci do carro e entrei no prédio, mais uma vez, desconsolada. Eu sempre soube que o Pierre era meio confuso e imaturo. Não me surpreendeu tanto o tombo que levei dele, mas o Pedro tinha virado o meu porto seguro. Tinha acendido em mim algo bom e calmo. Achei que era amor. Será que é? Esse tombo eu não esperava... achei que essa cama era elástica, mas hoje vi que é mais uma cama de gato! Ai, meu Deus, vamos mudar a brincadeira?!

PAPO DE CALCINHA: VOCÊ ACHA QUE OS HOMENS SEMPRE VIRAM O JOGO OU NÃO?

DICA: ADQUIRA JÁ! "MULHERES SOLTEIRAS NÃO SÃO DE MARTE", EDITORA UNIVERSO DOS LIVROS, AUTORA: LETÍCIA VIDICA. LEIA MAIS AVENTURAS DA DIANA NESSE LIVRO DIVERTIDO!!!

11 comentários:

Isa disse...

Ahhh os homens... tão previsíveis ! A verdade é q eles smp viram o jogo a favor deles, mas um dia eles quebram a cara e voltam com o rabo entre as pernas. É legal vê q seus textos tem a ver com a realidade, ñ é aquele conto d fadas onde tdos vivem felizes para smp. Eu me identifico muito! Bjs.

Anônimo disse...

Nossa que sem vergonha, e deixa ela esperando com aquele papo de que quer o melhor pra ela. Ta cheio de doido assim no mundo, eu lembro bem das minhas historias antes de casar, bem parecidas com as da Diana. Bjssss

Mirella... disse...

Nossa... Choquei!! Nem eu esperava isso dele! Mas acho esse papinho de " não quero o Pierre entre agente " muito furado!! Quando agente gosta agente enfrenta, mesmo sabendo que existe outro no coração do amado(a). Lutamos para conquistar espaço na vida da pessoa, e não nos acovardamos como ele fez.. mas se bem que mulher é muito mais forte e guerreiras do que os homens né!! Mas, agora é sofrer quientinha em casa, pq agente sofre mesmo não adianta e deixar o tempo passar.. ele cura tudo !!! E o principal, não ir atrás dele em hipótese alguma, ele já deixou claro o que quer !! Adorei o texto.. (como sempre)

Juliana disse...

Essas frases:
"E sabe o que mais dói? É que, dessa vez, eu sei o que eu quero, mas mais uma vez ... tenho na minha frente um homem que não sabe o que quer."
"Mais uma vez, não! De novo, não. Eu não aguento mais tanta decepção."
E principalmente essa:
"Betina, eu to cansada de ter que esperar os homens acordarem para se darem conta do meu valor. Eu sei o meu valor!!! Cansei de brincar disso, sabe?!"
Foram ótimas!
Me senti completamente a Diana nesse episódio!
Dps mulher que é complexa! Mulher sobre, viu!...
Beijos!

Juliana disse...

E mais a foto do bobo da corte, claro!
Muitas vezes me sinto a palhaça da situação!
Isso acontece só comigo?!

Anônimo disse...

Amo tua historia *-* fico ansiosissima pra próxima postagem, entro todo diiia, então não demoraaaa se possivel escreve todo dia kkk. Adoro você parabéns pelo blog :)

Anônimo disse...

Faço minhas as palavras acima da Juliana...

Andrea disse...

Esse post está demais mesmo! Quero saber a continuação da história, plsss!!! Concordo com as meninas, não tem essa conversa de que acha que ela não esqueceu o Pierre, então é melhor não atrapalhar. Aliás, qdo começa a se explicar demais e a arranjar um monte de motivos pra justificar que não quer, é pq não quer de verdade. E é isso que esse Pedro fez, e ainda ficou com a menina que a Diana não tinha gostado. Quer dizer que ela não pode pensar no ex mas ele pode ficar com a menina?

Patrícia Franco disse...

Seus textos são maravilhosos, mostram a verdadeira realidade e eu me identifico plenamente com as situações que a Diana passa! Adoro e aguardo ansiosamente o próximo post!!!

Anônimo disse...

A personagem central da história vai acabar virando Lésbica.
São tantas as idas e vindas que nao estranharei nada se isto acontecer.

Cássia Miranda disse...

Não creio! Mas que decepção hein, Pedro! Tanta espera pra nada. Aff! Mas por um lado eu até entendo ele. A Diana sempre se deixa levar pelo canalha do Pierre, fica balançada e tals. Desse jeito fica difícil.Gostei da história assim mesmo! Continuarei lendo sempre.