quarta-feira, junho 27, 2012

O CASAMENTO DO MEU EX



POR LETÍCIA VIDICA

Acordei, ou melhor, saí da cama porque eu não tinha conseguido pregar o olho a noite inteira. Eu fiz de tudo para esquecer que dia era aquele, mas era humanamente impossível esquecer que aquele era o dia do casamento do Pierre. Tudo parecia um sonho ou um pesadelo. Eu ainda não acreditava que ele ia realmente casar com a Olívia.

- Bom dia, gata! Como você está?

Pressentindo como eu estaria, as meninas baixaram lá em casa logo cedo e até trouxeram o café da manhã.

- Gente, eu não estou nada bem. Estou péssima. Tenho que confessar. – eu dizia me jogando de pijamas no sofá.

- Pois não devia. Não se esqueça que foi você mesma quem entregou ele de bandeja para
a Olívia. – era Betina, como sempre, me trazendo à realidade.

- Eu sei, Betina. Eu não tive escolha. Não tive saída. E vocês bem sabem que eu não quero ficar com ele ...

- Então, levanta essa cabeça, sai desse sofá e vamos dar uma volta. – dizia Lili.

- Lili, você não vai ao casamento? – eu perguntava retomando a consciência do nosso plano de vigiar o casamento do ex.

- Claro que eu não vou. O Tavinho vai sozinho mesmo. – respondeu com naturalidade.

- Tá ficando louca?! – sacudi Lili para ela relembrar nosso plano - Você vai sim e não se esqueça de nos atualizar minuto a minuto sobre cada detalhe da cerimônia e do casamento.

As meninas ainda tentaram me convencer a desistir dessa idéia, mas eu precisava de uma olheira amiga no território alheio.

***

- Diana, eu ainda acho que isso é loucura. – dizia Betina, tentando me fazer desistir da idéia de espionar a cerimônia atrás da moita – Já não basta a Lili na festa?

A contragosto, carreguei a Betina comigo até a porta da igreja. Detalhe: fomos à caráter e bolamos a péssima idéia de, no caso de sermos flagradas, dizermos que estávamos indo a uma festa de formatura. Eu sabia que era loucura, mas eu só ia acreditar que não era um sonho se visse com meus próprios olhos o Pierre entrando naquela igreja. Ficamos à espreita do outro lado da rua.

- Diana, isso é loucura. É piração! Vamos embora. Alguém pode nos ver...

- Eu não arredo o pé daqui... olha lá... é ele, é ele... achei que ele ia desistir na última hora sabia? – suspirei ao constatar com meus olhinhos o Pierre entrando na igreja ao lado da minha ex-sogrinha. Ele estava bem bonitão, aliás.

Com a ajuda de um binóculo, vimos a entrada do Pierre, dos padrinhos e da noiva... a Olívia, mesmo barriguda, estava muito bonita. Vimos tudo de camarote.

- Agora, podemos ir embora. Estou convencida de que o Pierre fez a escolha mais sensata. – eu dizia quando percebi que os convidados começavam a sair da igreja.

- Diana, vai te entender hein?

Quando voltamos para o carro, fomos surpreendidas por um imprevisto. O pneu do meu carro estava furado. E as únicas vivas almas que poderiam nos ajudar eram os convidados do casamento do Pierre. O posto mais próximo estava longe e a bonitona da Lili fez o favor de desligar o celular. E agora?! Antes que tentássemos uma saída pela culatra, fomos novamente surpreendidas pelos pais do Pierre que haviam parado o carro próximo ao nosso. Que infeliz coincidência!!! Imagina a minha cara de tacho?

- Diana?! Que bom te ver , minha linda. – abraçava-me a minha ex-sogrinha. – O que faz por aqui? Veio para o casamento? – perguntava como quem havia decifrado facilmente o meu plano totalmente falível.

- Casamento? Que casamento? ! – desbaratinei.

- Do Petico. Não teve jeito. Casou. Mas você bem sabe o que eu acho daquela golpista ... – declarava sua opinião sussurrando ao meu ouvido.

Enquanto eu tentava me desvencilhar daquela cilada, mais e mais convidados foram se aproximando do burburinho. Eu não sabia onde enfiar a minha cara. Era visível que eu estava ali espionando. Eu nem sabia o que dizer. E, quase enfartei, quando o Pierre se aproximou. Ele me olhou sem graça, mas deu um sorriso aliviador e de quem havia adorado a minha idéia.

- Filho, olha que surpresa boa!! Venha aqui ajudar as meninas com o pneu...

- Não, pelo amor de Deus – eu impedia – já liguei para o seguro (mentira!!). Você vai se sujar. Sua noiva está te esperando... – eu disse tentando impedir que o Pierre arrumasse o meu pneu e antes que a Olívia se desse conta da minha presença. Tudo bem que ela foi gentil, mas o casamento era dela né?

- Não é nada, Diana. Troco isso num segundo. Você já me ajudou tanto ... – dizia ele lançando aquele olhar malicioso de quem acabara de lembrar da noite da despedida de solteiro.

Depois de muito fuzuê, só consegui desvencilhar todo mundo quando a Lili apareceu e o Tavinho se dispôs a me ajudar. Porém, quando achei que o inferno tinha acabado, a minha ex-sogra lançou a brilhante idéia de me convidar para a festa. E ela só arredou o pé dali quando prometi que ia aparecer.

- Gente, que enrascada eu me meti!!! – eu dizia andando de um lado a outro da rua.

- Eu avisei! E agora? Vai aparecer com a cara lavada na festa? – criticava Betina enquanto acendia o quinto cigarro para não me dar uma surra pela loucura.

- Não sei o que fazer, Betina. E você viu o Pierre? Achando graça e concordando com essa idéia maluca da mãe dele? Ele é imaturo mesmo... – acho que, nessa hora, eu já transpirava de nervoso.

- O cara casa, você aprova, depois vem espionar e ele que é imaturo? – era Luis
Otávio que se intrometia. Tive que concordar com ele.

***

Pneu consertado, partimos para a festa. Não tive saída. Quando entrei no salão, percebi que todos ficaram boquiabertos com minha presença. E, surpreendemente, Olívia foi a primeira a me receber:

- Que bom te ver aqui! Isso prova mais uma vez que você realmente é uma mulher admirável. – ela dizia.

- Olívia, não foi a minha intenção! Eu ...

- Não precisa dizer nada... você é muito bem-vinda viu? Fique à vontade!!

Mais uma vez, pasmei com a atitude dela. Se fosse eu, acho que teria pedido para os seguranças me retirarem. Sentei em uma mesa e fiquei paralisada. Ainda não acreditava que, depois de ter sido a despedida de solteiro do Pierre, eu ainda estava na festa de casamento?!

- Gente, pede pro garçom uma bebida bem forte! E depois prometem que vão me internar?
Ainda não acredito que eu estou aqui.

Tomei alguns drinques para me acalmar, mas nada adiantava. Resolvi ir até o banheiro para respirar melhor. Enquanto eu respirava fundo encostada na pia, fui flagrada pela Dani, namorada do Digão.

- Diana?! Você está bem? Tá pálida!

- Eu estou bem sim. Foi apenas um mal estar. – menti

- Se eu não tivesse visto com meus olhos, não acreditaria que você está aqui... que idéia foi essa, mulher? Corajosa hein?

Eu não estava afim de confessar o meu plano para a Dani, então desbaratinei e corri para o jardim do salão para tomar um ar. Quando achei que estava em território seguro, como um passarinho, Pierre se aproximou de mim...

- Não sabe o quanto eu estou feliz por ter você aqui...

- Pierre?! Volta lá para dentro. A Olívia está te esperando...

- Eu só queria te agradecer mais uma vez. – dizia ele se aproximando um pouco demais de mim.

- Não tem que me agradecer por nada. – eu me afastava para não cometer mais uma loucura – Por sinal, a sua festa está linda e eu já vou embora.

- Fica? – dizia Pierre puxando minha mão.

- Ficar para quê? Eu já nem sei o que eu estou fazendo aqui ... não tem mais espaço para você na minha vida e nem na sua para mim. Acabou! Essa é a sua nova vida, Pierre. Seja feliz nela.

- Daria tudo para que fosse você vestida de branco lá no altar ao meu lado.

Golpe baixo!!

- Não diga isso. Você tem uma grande mulher ao seu lado ...

Pierre ousou se aproximar de mim mais uma vez, mas fomos flagrados pela Olívia. Achei que dessa vez ela me arrancaria da festa pelos cabelos, mas novamente agiu com elegância.

- Meu amor, é hora da valsa... da nossa dança! Vamos lá? – ela disse estendendo as mãos para ele.

Pierre se recompôs, deu o último gole no espumante, se despediu com os olhos e seguiu para a dança deles. Naquele momento, voltei à realidade e, mais uma vez, constatei que era a dança deles, não a nossa. E que eu não queria que a dança fosse nossa. Entende? Eu não queria ser a Olívia naquela noite. Naquele momento, me bateu uma saudade imensa do Pedro.

- Diana? Diana? DIANA???? – berravam Lili e Betina.

- Tá tudo bem? – perguntava Lili

- Eu estou ótima. Melhor não poderia estar. – eu confessava com sinceridade, mas minhas amigas me olhavam com espanto. Aposto que acharam que eu havia enlouquecido.

- É hora de partir, meninas. Acabou! Agora, acabou de vez.

Sem entender nada, as meninas concordaram com a idéia e, aproveitando a euforia dos convidados com a valsa dos noivos, saímos sem sermos notadas.

- E o Luis Otávio? – perguntei, já no carro.

- Aquele ali é um arroz de festa. Quis ficar, claro. Mas eu não podia te abandonar nessa hora tão difícil, amiga. – dizia Lili.

- Obrigada, amiga, mas eu estou bem. Como nunca estive. Agora acabou de vez mesmo. – eu dizia olhando os carros passarem pelo vidro e rindo aliviada.

- Diana, eu espero que essa sua loucura passe logo. Olha, essa vai ser mais uma daquelas noites malucas ao lado de vocês.- dizia Betina.

- Meninas, vocês podem achar bobeira o que eu vou dizer, mas talvez o Pierre tenha achado a mulher da vida dele. E não sou eu. Ver o Pierre ali naquela situação, casando só me fez afirmar ainda mais que a nossa história acabou e que eu gosto mesmo é do Pedro. A Olívia vai fazê-lo feliz, eu sei disso.

Betina e Lili ficaram me olhando com cara de quem não havia entendido nada, mas eu falava a verdade. Para mim, aquele casamento encerrava a nossa história. Pelo menos, por enquanto ...

PAPO DE CALCINHA: O QUE VOCÊ ACHOU DA LOUCURA DA DIANA? ACHA QUE AGORA ELA ESQUECE DO PIERRE DE VEZ? JÁ PASSOU POR ALGO PARECIDO?

5 comentários:

Mirella Gurgel disse...

Ai que doida... se bem que acho que faria o mesmo!! Agora é partir pra outra, vida nova.. Nada de "por enquanto", vira essa página, o cara ta casado e logo mais será pai, não pode passar do posto de ex namorada para amante. É humilhante, ainda + que vc já não morre de amores por ele! Bju

Isa disse...

Oi, gostei d ver q vc está publicando seus textos com mais frequência, atendendo o pedido dos seus leitores, me tornei ainda mais fã! Bom, mandar uma amiga espionar é uma coisa, mas ir ao casamento e depois a festa é mta loucura. Se o Pierre deixar ela em paz, aí pode ser q tenha acabado msmo, caso contrário só se ela amar mto o Pedro pra ñ correr o risco de ter uma recaída. Passei por algo parecido, fiquei com um cara um certo tmpo, depois ele arrumou uma namorada e msm assim ele queria continuar ficando comigo, eu gostava dele mas tinha uma dúvida se era isso msm q eu queria, mas chegou um momento q eu disse: vou seguir em frente e deixar ele tbm seguir. No início é difícil mas temos q fazer uma escolha. Aprendi q se vc ama alguém deixe ele livre se ele for e voltar é porque é seu, se ñ é porque nunca foi seu! Bjs.

Anônimo disse...

Adoro seus textos! Post com mais frequência! Bjos...

Anônimo disse...

Eu faria o mesmoooooo! Tanto como Diana como se fosse a Olívia....

Cássia Miranda disse...

Kkkkkk...essa Diana é muito louca, gente! Primeiro recriminei a atitude dela de espionar, mas depois acabei até concordando. Ela precisava ver de fato o Pierre casando, só assim p/ se tocar de que acabou mesmo! E agora é bola pra frente. Nada de por enquanto..Volta logo, Pedro!