sexta-feira, fevereiro 07, 2014

PASSARINHO NA GAIOLA



Por Letícia Vidica

- Dona Diana, o seu Pedro está lá em cima. Ele insistiu pra subir e eu dei a chave reserva, tudo bem?

- O Pedro?! Nossa, que estranho... mas a gente não marcou nada hoje...tudo bem. Obrigada, seu José.

Subi ainda um pouco intrigada com a declaração do porteiro. O que o Pedro estava fazendo lá em cima? Claro que eu adorei a surpresa, mas a gente não tinha marcado nada para hoje. E por que ele não me ligou?! Será que algo grave tinha acontecido?

- Oi, meu amor. Tudo bem? Aconteceu alguma coisa? - perguntei ao terminar de dar um selinho nele que retribuiu com o pior beijo que ele podia me dar e com cara de nenhum amigo.

- Onde você estava? - perguntou na lata com aquela cara de bunda ainda.

- Ué, Pedro! Onde eu poderia estar? Hoje é sexta. Óbvio que eu estava no bar do Pedrão com as meninas. Mas por que a pergunta? - respondi ainda um pouco sem entender o rumo daquela conversa.

- E você acha isso normal?

- E porque não deveria ser? Você sabe que toda sexta eu estou no bar com as meninas e até onde eu saiba, a gente não tinha combinado nada hoje. - dessa vez, fui eu quem cruzou os braços.

- Opa...esqueci que o seu namorado tem que marcar hora agora. Desculpe por não consultar sua agenda. Se estou valendo menos do que o bar do Pedrão...

- Espera'í. Onde você pretende chegar com essa conversa? Se você queria me ver, sabia onde me encontrar ou poderia ter marcado algo comigo ou me ligado...

- Eu tentei, mas parece que você não estava afim de me atender.

- O celular estava na minha bolsa e eu não vi as suas ligações... - respondi caçando o celular na bolsa e comprovando as milhares de ligações dele. - Mas eu não estou aqui?! Ainda não entendi onde você quer chegar com isso... A mulher aqui sou eu viu?!

- Será Diana?! As vezes, acho que você esquece que não é mais uma mulher solteira, mas insiste em querer ter alguém mas não quer prender-se... Talvez você ainda não tenha conseguido arrumar um espaço para ter alguém no meio da sua vida.

O QUE???? Foi o que berrei internamente. Que papo é esse?! Como assim eu não tenho tempo para ele? Todo esse estresse porque eu fui tomar um chope no bar do Pedrão??!!! Espera um pouco aí, Pedro. Mas ele não esperou. Foi pra casa de cara fechada.

- Satisfação, Diana. É isso que ele quer. - era Betina quem me consolava.

- Gente, mas o Pedro nem parecia o mesmo. Me cobrando só porque eu fui no bar com vocês?!! Se eu ainda tivesse mentido pra ele.... Ele sabe que isso é sagrado para mim.

- Não se surpreenda. O Pedro é homem!! Todos são assim. O problema é justamente esse. Ele tá puto porque você não abriu mão da sua rotina de solteira pra ficar com ele.

- E o que tem de errado nisso, Be??

Antes que ela respondesse, o meu celular tocou. Era o Pedro.

- Oi, Pe, tudo bem? Onde eu estou? To na casa da Betina. Desculpe..eu saí correndo do trabalho e esqueci de te ligar... Tudo bem. Podemos nos ver amanhã?

- To me sentindo um passarinho na gaiola sabia? Acredita que ele questionou até o que eu estou fazendo aqui?!

- Calma, Diana. Você tem que fazer o Pedro entender que, por muito tempo, sempre foi você com você. Solteira, sem dar satisfação a ninguém e agora não vai ser da noite para o dia que tudo vai mudar.

- É isso, Be!!! Eu adoro o Pedro, mas não faz nem seis meses que estamos juntos de novo. Ele é o mesmo mas a situação é nova. Eu assumo que ainda não me acostumei com toda essa ideia de ter alguém o tempo todo querendo saber o que eu fiz, onde eu vou, com que estou, por que liguei, por que não liguei...

- Seja sincera com ele e com você. Fale isso pra ele.

Foi o que fiz. No dia seguinte, sem aviso prévio, me desbanquei pra casa do Pedro. Acho até que ele sabia que eu viria. Estava preparando uma massa deliciosa.

- Hmmmm...que cheiro bom!!! Esperando alguma visita especial?

- Você!!! - dizia ele me agarrando entre a geladeira e o fogão com um fogo que nada lembrava a

tempestade de neve da nossa última conversa.

- Pe, a gente precisa conversar.

- Eu sei. A gente tem que conversar mesmo.

- Olha, não me entenda mal. Mas aquela sua cobrança sobre a minha dia ao bar do Pedrão na semana passada me fez pensar. Eu te amo, Pedro, mas eu preciso de um tempo para me acostumar com a ideia de ter alguém na minha vida de novo. Tanta coisa aconteceu nesse meio tempo. Sempre foi só eu e eu. Sem cobranças, sem satisfação e,de repente, você reaparece...graças a Deus, mas eu ainda não estou acostumada com todas essas cobranças...

- Linda, eu que tenho que me desculpar com você. Eu não tenho o direito de te cobrar tanto assim. Chegar do nada e ir invadindo o seu espaço. Eu sei que você precisa dele e eu vou respeitar. Não quero que você se sinta um passarinho na gaiola.

- Você realmente não existe... - dei um super beijo naquele homem maravilhoso - Não saia da minha vida nunca!!!

Nós beijamos e fomos saborear a maravilhosa massa do Pedro.

Confesso que ainda não sai totalmente da gaiola. Talvez nem saia completamente, mas poder dar umas voltinhas, as vezes, livremente pelos céus faz toda a diferença e, por incrível que pareça, é o que me faz querer voltar pra gaiola.

PAPO DE CALCINHA: Você já se sentiu como um passarinho na gaiola? Já passou por uma situação como a da Diana, ter dificuldade para dar satisfação depois de tanto tempo sozinha?!

7 comentários:

Mirella G disse...

Adoreeei, como sempre ! Mas é uma situação delicada, acredito sim que temos que ter nosso espaço, senão a relação não flui, viver em função do relacionamento não dá, mas tudo com muito respeito. Coisa difícil hoje em dia! Por isso vem a desconfiança o ciúme etc. O negócio é ter uma conversa franca, esclarecer os fatos.

Ana Cláudia Marques disse...

Acho que ele ficou tão cismado por causa das investidas daquele Pierre - com razão, por sinal - que teve aquela atitude. Mas como a relação ainda é recente, isto passa. De minha parte nunca tive esse problema. Bom, pelo menos até agora (RISO).

Anônimo disse...

Ahh, já estou super ansiosa para a próxima postagem! Viciei!

Micaela Souza disse...

Leticia, cadê o próximo?? Amei muito!

Mayara Garritano disse...

Amo seus textos...viciada...descobri esses dias...lendo desde os posts de 2005...me identifico muitoo! Continue escrever..vc está de parabéns e tem talento! bjin

julio disse...

menina, seus contos também servem para nós (marmanjos). se permitir, sempre que puder passarei por aqui.
tudo de bom!
julio

Anônimo disse...

Acabou o blog mesmo?