quarta-feira, fevereiro 04, 2009

NAMIGORADO


Por Letícia Vidica


- Diana?! Em casa a uma hora dessas em pleno sábado a noite?! – perguntava Betina admirada

- E posso saber qual é o problema e o motivo de tanto espanto para isso? – retruquei lambuzando meu dedo de brigadeiro, de pijamas, esparramada no sofá assistindo um programa qualquer.

- Ué, e o Fabrício? Não vai sair com ele hoje?

- Ele teve um compromisso de família, mas ‘peraí e por que eu teria a obrigação de sair com ele hoje? Não posso me dar o direito de não sair, Betina?

- Calma! Só achei estranho porque ele não é seu namorado?


- Quem falou?!

- Ai, Diana, para de se fazer de tonta. Você fala com o cara todo dia, toda hora, só fala dele, só pensa nele, só sai com ele e vai me dizer que isso tem outro nome?!



Odeio como a Betina tem o poder de me fazer refletir nos momentos mais inoportunos! Depois daquela indagação, fiquei sem ar, sem resposta, mas não tive como ficar sem refletir. Afinal de contas, o que o Fabrício era meu? Ele era um amigo? Um namorado? Um amigo namorado? Um namorado amigo? Que nome eu daria para o nosso lance? Seria um rolo? Um rolo sério? Um amigo colorido? Aiiiiiii!!!! Odeio você Betina!!!



Bem, você não deve estar entendendo nada, mas vou rebobinar a história.

Eu conheci o Fabrício, num daqueles momentos da minha vida que eu estava querendo exterminar todos os homens da face da terra e que não me faria falta (ou faria?). Nos conhecemos numa festa na casa da Lili. Ela havia resolvido reunir alguns amigos para jogar conversa fora e um deles era o Fabrício. Lembro que naquele dia cheguei super tarde na casa dela, estressadíssima com as buchas do meu trabalho e super a fim de tomar uma breja, quieta e esquecida no canto do sofá...mas o Fabrício não deixou que isso acontecesse.
Fomos apresentados pela Lili e, desde então, passamos a noite toda jogando conversa fora. Até aí, nada mexeu comigo. Achei apenas que ele era um cara legal e que queria conversar, mesmo sendo 5 anos mais velho (idade perfeita), ter um emprego bacana, gostar das mesmas coisas do que eu e ter um papo interessante! Trocamos telefone, MSN, email, Orkut e acho até que tipo sanguíneo, mas eu não apostava a mínima que ele me ligaria. Porém, como sempre quebro a cara com minhas apostas, ele me ligou três dias depois me convidando para um jantar.


Saímos para jantar e, desde então, não paramos mais de sair, de nos falarmos todos os dias, toda hora...



O incrível é que as coisas foram fluindo tão naturalmente que eu nem me dei conta de que já fazia 3 meses que o nosso rolo tinha começado.



- Nossa, Di...parece que foi ontem que a gente se conheceu né?


- Realmente, incrível como passa tão rápido.


- Tudo que é bom a gente não vê passar. E tá tão bom ficar com você sabia? A gente se combina tanto.


- Olha, Fa, tenho que confessar que eu já estava desiludida quando te conheci e achei que você seria só mais um...


- Eu sou o ‘um’ que vai fazer a diferença...



....



- Olha só os pombinhos!!! – chegava gritando Betina e Lili no bar do Betão


- Vocês demoraram!


- E você já viu a Lili ser rápida para se arrumar?


- Ai, gente, eu não posso sair de qualquer jeito né? Afinal de contas, eu não estou igual você, amiga, eu tô na pista para negócio!!!


- Falando nisso, e aí quando sai o casório?


- Não exagera, Betina!


- Eu já pedi, ela que não quer, tá me enrolando...


- Não faz muita hora não, minha filha, porque a fila lá fora tá grande! – ironizava Betina


- Mas é sério, gente, vocês formam um casal tão lindo! Deviam namorar logo, ou melhor, assumir logo porque namoro, isso já é né? – alfinetou Lili.



Mais um ponto para minhas amigas, na arte de me deixar sem graça elas são mestres...



...e mestre também foi a Betina com àquela pergunta...




- Ai, Diana, para de se fazer de tonta. Você fala com o cara todo dia, toda hora, só fala dele, só pensa nele, só sai com ele e vai me dizer que isso tem outro nome?!...


...Diana, hello! To falando com você!



- Ai, Be, desse jeito você me deixa confusa!



- Confusa por quê? Você não está gostando do cara?



- To.



- Você tem vontade de sair e ficar com outra pessoa?



- No momento, não.



- Então, tá fugindo do que?



- Eu não estou fugindo, apenas estamos nos conhecendo.



-Amiga, e no namoro a gente também não conhece as pessoas? Olha, Di, não sei bem o que você quer e qual é o seu plano...mas vejo que o Fabrício é um cara bacana, tá te fazendo mega feliz, fez reviver aquela Diana alegre, você tá parecendo uma adolescente boba e apaixonada, tá esperando o que? O cara te dar um pé?



- Não é isso, Be, eu realmente to apaixonadinha pelo Fá...fazia tempo que eu não sentia esse friozinho na barriga sabe, esse calor por dentro, essa saudade...ele é um cara bacana, combina muito comigo, é carinhoso, atencioso, companheiro...bem diferente dos outros que eu conheci...mas eu não sei...às vezes me sinto insegura, tenho medo de sofrer de novo...



- Só tem medo quem é covarde, amiga e isso eu sei que você não é...faça o seu tempo, mas vá se acostumando com a idéia de que isso é muito mais que um rolo e ele é muito mais que um simples amigo...isso tá mais para namigorado!!!


- Namigorado?!



Nos olhamos e começamos a gargalhar no sofá. A Betina era super criativa para inventar palavras estranhas para situações certas... Fabrício era meu namigorado – uma mescla de namorado com amigo com amigo namorado – ai que confusão – mas deixa o tempo dizer né?



Papo de calcinha: E, você, já teve um namigorado?Como definiu a situação?

6 comentários:

Fernando disse...

Eu adorei o seu blog, está muito bem redigido e com umas histórias, bem interessantes, ah eu também tenho uma namigorada...rsrs
Beijos

Anônimo disse...

Eu já tive um namigorado, ficamos juntos por aproxidamnete 04 meses. Nos connhecemos por intermédio de amigas em comum.
Só tinha um probleminha... Ele tinha uma história inacabada, quando começamos a nos relacionar ele ainda namorava, me dizia que sua relação estava naufragando e que já não amava a então namorada.
No começo fiquei meio reativa mas com o passar do tempo, os galanteios e as investidas resolvi ceder...
Para minha surpresa, descobri que ele NUNCA deixou de se relacionar com a "ex". E, ao que tudo indica eles estão juntos e felizes com a conclusão que esta separação serviu para fortalecer e levar a relação para um outro nível!

Anônimo disse...

Nossa essa história parece de alguém que conheço...rsrs...acho que só estão trocados os personagens né?!rsrs

Renata disse...

Nossa essa história parece de alguém que conheço...rsrs...acho que só estão trocados os personagens né?!rsrs

roberta disse...

Tive uma história parecida .. eu ainda era apaixonada pelo meu ex, qnd um menino qe tinha acabado de terminar um namoro começou a virar mto meu amigo, a gente foi se apegando mto um ao outro e acabamos ficando .. ficamos uns 2 meses direto e dps ele começou a me dar foras do nada, pq não queria se apegar a ngm, Eu tiinha sempre qe sair com ele qnd ele queria e não qnd era da minha vontade, ai comecei a me afastar dele, nunca mais quis ficar com ele e hj em dia falo com ele as vezes e ele continua agora na vida de quere pegar todas, já qe ele não tem a qe ele amava de verdade.

Anônimo disse...

Gente ..
Beijar na boca e sair mais que 4 vezes já não é namoro ??!!! KKkkk

Nunca tive como é que vcs deram o nome ..???"" Namigorado" ..... Hummmm .... Sou ruim nesse assunto, comigo é ou não é, e não tem meio termo ... Tipo .. Ou dá ou desce e não tem conversa de mais mais !! Kkk

Nossa !?!?!? Será que é por isso que estou no meu 2º casamento ??!!!! Bom espero que seja o último. Que louco !!

Vivi Lolis